Como é se mudar e estar vivendo em outro País?! Na minha opinião.

Como é estar vivendo em outro País?!

Você provavelmente em algum momento da sua vida, se pegou pensando em morar fora do seu país. Será que você sabe os motivos?! Os motivos que os fazem pensar nessa possibilidade devem contar muito para uma real mudança pois ditam o tipo de expectativa que você está criando com essa mudança, e nem sempre ela corresponde ao que você espera. O fato de eu começar falando isso de cara no primeiro parágrafo, é que depois de estar morando algum tempo e encontrar todo tipo de brasileiro por aqui, dos mais diversos lugares e por ter a incrível oportunidade de estar estudando em uma escola com diversas outras culturas, eu me deparo com todo tipo de opinião do que as pessoas esperavam daqui, do impacto que elas tiveram e algumas ainda tem, e do que depois disso mudaram ou não de opinião e buscam daqui pra frente – o que muitas vezes muda!

É engraçado que, muitas pessoas vem para estudar e não querem mais ir embora e algumas delas realmente não vão. Outras vieram estudar e tem a certeza de que querem ir embora, tantas outras que mudam a vida inteira com a certeza de que querem morar nos EUA e chegam aqui sem aguentar ficar o seu primeiro ano, e tem as pessoas que vem com um prazo definido em busca de um objetivo nesse tempo e vão adiando a volta e assim nunca mais voltam. Nunca estive em um lugar com tantos brasileiros com histórias diferentes, olhares diferentes, enxergando coisas diferentes diante das mesmas coisas, mesmas oportunidades, quase que das mesmas experiências e então você percebe que a bagagem até aqui e também a filosofia de vida individual de cada um, faz tudo ser diferente.

19248067_650871515118113_1175542284427166922_n

Mudar!!

Essa nunca foi uma palavra difícil pra eu lidar, eu sempre me mudei, eu nasci me mudando, talvez isso tenha feito eu ter me deparado o tempo todo com pessoas e opiniões diferentes e ter uma dificuldade de criar laços tão profundos com as pessoas no sentido de precisar delas para viver em qualquer circunstancia. Isso pode ter o seu lado ruim como tudo na vida, talvez tivesse um lado ruim muito maior na minha fase de adolescente, sem tantos vínculos, mudando de casa, de escola, de amigos, mas por outro lado durante toda essa trajetória que já havia sido imposta na minha vida, os laços que foram criados sobreviveram a todas essas mudanças, e todas as mudanças internas comigo mesma, aqueles bons e velhos amigos que você conta no dedo, mas que atravessam fronteiras com você mesmo não estando sempre juntos, e então você sabe o que é ter amigos verdadeiros e exatamente quem são. Acho que isso basta pra viver em qualquer lugar da forma que for melhor pra cada um.

Então pra mim foi fácil mudar, eu não pensei duas vezes em pedir demissão do trabalho, em entregar meu novo apartamento o qual eu estava apenas 7 meses morando, não pensei duas vezes em vender tudo o que eu podia por mais que muitas coisas eu amasse e tivesse um carinho e cuidado especial, eu preciso do novo, eu preciso mudar, preciso me experimentar, preciso saber onde eu me encaixo melhor e então falar comigo mesma “agora sim, está perfeito”, mesmo que isso possa mudar depois, porque o perfeito de hoje pode não ser amanha, e que bom, olha quantos anos de vida nós temos para nos bastar com coisas tão pequenas porque queremos ficar na zona de conforto porque é mais seguro não sentir medo, não ter o frio na barriga de não saber como será amanhã, e se olhar todos os dias no espelho e saber quem você é. E qual o problema de as vezes você não saber e ter certeza de nada?!

Mudar de País é exatamente isso, não ter a certeza de nada. É começar sentindo frio na barriga, muitas vezes ter medo, se sentir inseguro pra sair sozinho no início, não conhecer nada, você vive com a base do estilo de vida que você tem no seu país e depois você obrigatoriamente vai tendo que desconstruir o olhar que você coloca nas pessoas, nas coisas, na maneira de falar ou no jeito que você vai se sentir diante daquilo.

Se você ainda está aprendendo a língua do país que você vai morar isso vai se tornar ainda mais difícil. E mesmo assim, acredite que tudo vai ser diferente. Eu fiz cursos bons de inglês no Brasil e ainda sim fiquei perdida com a forma de falar.

Eu sempre cheguei tão animada e encantada com tudo, com a beleza e as novas descobertas, com os desafios em ter que pagar conta em inglês e a forma tão diferente que cada conta tem que ser paga, isso no Brasil é bem mais “easy” e simples de se fazer. Como trabalhar, como conseguir algo que valha a pena, como se comunicar, como confiar nas pessoas? Bate as vezes uma dúvida um desespero, muitas vezes eu chorei. Batia saudade, batia o escuro de não saber sobre o amanhã, de acordar e fazer algo porque você tinha que fazer e não porque você queria fazer, bateu medo do tempo que parece passar tão mais rápido, tudo é pra ontem e não da tempo de fazer nada, as coisas fecham tão mais cedo e você precisa o tempo todo organizar o seu tempo diariamente para que consiga fazer tudo que precisa. Lembrar de sair sempre com documento pra poder pedir uma cerveja em um restaurante qualquer ou lembrar que só vende bebida até 11:45 da noite, porém alguns estados não vendem uma gota se quer de álcool no mercado e só em liquor Store. Frio frio e muito frio. Sobreviver ao inverno, aprender a dirigir em dias de nevasca, passar perrengues como ficar sem gasolina em uma via expressa super rápida e tentar explicar o ocorrido em inglês para um policial sem saber se ele vai te multar, te ajudar ou sei la o que acontecer. E como dá sono o inverno daqui e a parte mais difícil é escurecer as 4 da tarde sentir que o dia acabou, e a sua cabeça entender que já esta tarde demais pra fazer qualquer coisa e querer dormir quando ainda são 8 da noite mas parece meia noite. Sair sem protetor labial e voltar com a boca cortada ou achar que não esta frio suficiente pra toca e quase perder a orelha, não conseguir mexer no celular na rua e o seu celular desligar a cada 5 minutos por conta do frio.

Mas tudo passa, depois você ri das histórias do seu começo, tudo começa a fazer mais sentido, e você pensa o quanto maravilhoso foi poder viver tantos desafios e em quem você se transformou depois dele. O frio ainda dói, da sono e o dia realmente parece que acabou as 4 da tarde. Mas depois do seu primeiro ano é mais fácil se preparar pra ele. Você começa a pensar para lembrar algumas palavras em português pelo fato de as usar menos, já consegue trabalhar sem ter que usar 100% do tempo o GPS, começa a entender que quase todas as lojas são redes então sempre terá aquele mesmo restaurante, pizzaria, papelaria ou livraria em todas as cidades que você estiver.

É maravilhoso estar vivendo em outro País, e eu me sinto muito mais parte daqui  a cada dia. Desafios existem na vida em qualquer lugar, todo mudança é bem vinda, e todo ser humano é adaptável. Se permita mudar desde que seja para sua própria evolução.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s