Em Atlanta.

Road trip em 8 dias de viagem e 4 Estados/cidades 🇺🇸Chicago/Illinois – Indianápolis/Indiana – Nashville/Tennessee – Atlanta/Georgia.

🔅Leia aqui minha experiência de um único dia em Indianápolis em Indiana/EUA.

🔅 Leia aqui minha experiência de um único dia em Chicago.

🔅Leia aqui os meus 3 dias intensos e divertidos em Nashville no Tennessee.

Hello Atlanta, chegamos na nossa última parada.

2 dias em Atlanta, sem planos!

Seguindo viagem de Nashville até Atlanta, passamos por alguns caminhos lindos. Nesse caminho inclusive descobri um ponto turístico que parece ser incrível já quase entrando já Geórgia mas ainda fica no estado do Tennessee, que se chama “See Rock City” deem uma olhada no site e me digam se não parece ser incrível mesmo!

Eu queria muito ter ido até lá, o caminho inteiro fica te instigando a ir com 590 placas, mas não fomos porque achamos que ficaríamos com pouco tempo para conhecer Atlanta e que teríamos muitas coisas pra fazer por lá etc, e por fim, me arrependi de não ter isso nessa tal de rock city aí.

Quando chegamos em Atlanta no nosso hotel, fomos pesquisar algumas coisas para fazer, e as duas coisas mais famosas da cidade são o aquário que dizem ser o maior do mundo ou algo perto disso, e o museu da Coca Cola que eu estava super animada de conhecer o universo do vício chamado açúcar “hehehe”

Pelo horário dava pra gente ir no tal aquário famoso e então resolvemos ir.

Ué, mas uma vegana em um aquário?

Eu me tornei vegana tem 6 meses, e em breve farei um post falando um pouco sobre essa escolha! No entanto, eu sempre me via fazendo muitas reflexões e julgando até o meu próprio consumo em relação à alimentação etc o que veio de forma natural na minha vida e após isso eu resolvi testar umas coisas, realmente ler, estudar um pouco sobre as causas efeitos etc e então de uma forma resumida, resolvi opar pelo caminho do veganismo como uma escolha nova de vida, um caminho diferente por milhões de motivos, pelo principal que o caminho anterior não estava mais fazendo sentido na minha vida.

No entanto me tornei vegana na parte da minha alimentação, e hoje, 6 meses depois, ainda estudando, lendo e aprendendo todo dia, tenho expandido minha consciência quanto ao veganismo e mudado outras formas de consumo em outras áreas da minha vida. Fazendo do veganismo um estilo de vida real como a filosofia propõe e à qual eu encontrei sentindo na minha forma de enxergar o mundo a na minha existência na terra. Ninguém muda da água pro vinho do dia para noite, né?

Eu nunca fui de frequentar locais como zoológico e aquário etc, o primeiro aquário que eu fui na minha vida, foi o de Boston logo quando vim morar nos Estados Unidos. E eu ainda não era vegana, mas já me apertava o coração.

Hoje, com um pouco mais de conhecimento do assunto, mas ainda tão pouco diante de tanta coisa que tenho que aprender e compreender melhor, eu resolvi ir nesse aquário principalmente pelo fato de falarem ser o maior do mundo, e eu precisava estar lá para reavaliar minhas escolhas, para entender no meu coração qual era o sentido de tudo aquilo, o que lá tinha de diferente dos outros aquários, de certa forma observar o comportamento do ser humano em um lugar como esse. E eu digo que foi muito bom eu ter ido, porque me trouxe reflexões e perguntas que eu jamais havia me feito antes, senti vontade de chorar algumas vezes quando me pegava pensando “isso não faz sentido” – E muitas vezes as perguntas que nos fazemos são mais importantes do que as respostas que queremos.

Em uma questão totalmente pessoal de escolha minha com o veganismo, valeu a pena ter ido e ter a certeza de que eu não preciso estar em um lugar assim, nunca mais.

Eu observei o quanto as pessoas vivem suas vidas de forma inconsciente, existem. Existir e viver, tem diferença!

É muito óbvio que grande parte das pessoas frequentam essas lugares porque acham os animais incríveis, lindos, e se dizem amar os animais. Amor não dói, amor não mata, é a mesma coisa para um relacionamento humano onde se diz existir amor e machucar.

É tão insconsciente que ninguém vai para um aquário observar animais pensando “que delícia, quero comer um desse hoje”. Mas saem dali e inconscientemente pedem um peixinho para almoçar. Isso durante muito tempo me fez refletir e quando entendi quem não fazia sentido, e que a visão do amor estava distorcida, então eu mudei.

Abaixo a foto de onde fica a abertura do aquário que se diz tão grande. De verdade se eu não fosse vegana eu teria ficado decepcionada da mesma forma.

Abaixo o aquário principal, a única coisa que tem real no aquário, vamos dizer que não é bonito? Não, porque os animais estão presos, pra sempre, até morrerem. Mas eles não deixam de ser lindos e incríveis nadando juntos, por horas e horas e horas, com um lindo fundo azul, parecem que dançam. Eu fiquei um longo tempo olhando sem conseguir pensar muito, até então analisar as pessoas tão admiradas sem acharem que tinha algo errado. O quanto esses animais dançariam no azul de um mar livre?!


Pra gente mudar, a gente precisa ver, sentir, conhecer, e entender. Pra mim foi expandir minhas reflexões e afirmar as minhas escolhas, porque todos nós devemos saber porque escolhemos um caminho e não outro.


Eu sei que será difícil esse tipo de atração acabar enquanto a maioria não entender o porque pessoas se tornam veganas, o quanto isso está errado. Mas eu espero que quando vocês forem para um lugar como esse, reflitam suas escolhas, o porque estão ali? Se estão por esses animais, por amor e tudo mais, porque então escolhem acabar com a vida deles, destruir a vida e os mares. Repensem.

O maior aquário do mundo que não é tão maior assim. Não muda nada.

Foi o suficiente para eu enxergar o meu caminho e as minhas escolhas com mais clareza.

Abaixo, no mundo do açúcar, temos a Coca Cola como a principal do mundo!

Que lugar cheio! Se preparem!

Eu achei super interessante ter ido, porque apesar se não ser a favor de nós entupir de açúcar, a Coca Cola não é só feita disso. Hoje a empresa tem vários outros rótulos incluindo zero açúcar e até água. Ainda que saibamos o quanto refrigerante nos faz mal e devemos evitar o máximo do consumo, não podemos ir contra de que a Coca Cola quando surgiu tomou o espaço da mesa de todas as famílias desde muitos anos atrás, todos nós temos memórias com a Coca Cola, e meu principal motivo de querer ter ido conhecer esse lugar, é justamente pelo conceito de imagem que eles criam e todo o marketing que era por trás do nome, e que com certeza faz a Coca Cola ser quem ela é hoje!

Eu sempre lembro do caminhão enorme da Coca Cola passando tarde da noite no Natal cheio de luzes e com uma musica natalina. Eu corria para fazer, isso tinha na cidade de vocês? Eu achava incrível!

Eles criam uma história com um link da vida de cada um de nós, e é tão real que ainda que você não consuma o produto, faz você se emocionar! Sem contar que os comerciais e aquelas imagens antigas de quando a Coca Cola estourou na televisão, é um máximo.

Essa estátua aí fica em frente ao museu, e é do criador da Coca Cola.

Dentro do museu, tem tour, vídeo, história, e algumas atrações para tirar fotos, escrever sua memória com a Coca Cola e expor para o mundo com todas as pessoas que passam por esse museu, tem um cinema em 3D que insinua te dar a fórmula secreta da coca, mas no final estão sempre romantizando essa história com nós mesmos e a nossa história de vida.

Eu gostei de ter ido, no final você passa por uma sala onde tem todos os refrigerantes, sucos e água que a coca é dona, pelo mundo. Dividido por países. Tem uns bem ruins. Meu preferido foi o do Peru mesmo. E ao final uma loja cheia de produtos da marca.

Logo ali perto, lembrando que a Coca Cola e o aquário ficam um do lado do outro, podendo ir a pé. Você também segue andando até esse parque famoso onde representa as olimpíadas que Atlanta recebeu.

O parque é bem bonitinho para passear e relaxar! Próximo dele tem a CNN que também possível visitar, e uma roda gigante para ver a vista da cidade.

Pelo parque… momento foto!

De verdade, daria para ter ficado um único dia em Atlanta e ter feio tudo! Nenhum outro passeio me chamou atenção. Não fiz CNN e também não quis fazer o tour do The walking dead, eu não sou fã, seria fazer por fazer.

Pesquisando eu descobri vários restaurantes veganos e vegetarianos e achei bem legal porque tinha muita opção mesmo.

Achei todas as pessoas bem legais e receptivas. Atlanta é oposto de Boston, e foi interessante conhecer por conta disso, o sotaque é diferente, o estilo e gosto da comida também, desde que eles têm maior parte da influência africana e muitos restaurantes são caribenhos, incluindo os restaurantes veganos, grande parte dos que eu encontrei eram em versões das comidas e temperos típicos do Caribe.

Não sei se é sempre assim, mas verão, se chove muito o tempo todo! Todo dia tem muita chuva de verão com muitos raios. Eram 3 da tarde e o tempo já fechava e caia aquela chuva!

A cidade é bonita mas achei bem entediante! Não tem nada pra fazer, não tem um lago ou algo gostoso pra se fazer além dessas atrações ou lugar para comer. Tem um restaurante que pensamos em ir e desistimos que é bem famoso por ser no topo de um prédio e girar enquanto você come e aprecia a vista – Sun Dial – esse é o nome com o link se alguém se interessar de ir.

Tiramos um dia inteiro para comer e ficar na piscina para descansar para a nossa volta.

Como toda experiência é válida, me agregou em muitos pontos pessoais. Mas não tenho pretensão de voltar lá.

Eu cheguei por Atlanta quando decidi morar nos Estados Unidos, e foi um momento muito gostoso de reflexão e memórias pegando o voo de Atlanta para Boston, no mesmo lugar onde estivemos para pegar nosso voo para NYC logo após passa pela imigração.

Atlanta foi então um momento de reflexão, lembrança, e resgate de alguns porquês. Também foi o aprendizado de uma cultura diferente dentro do país que eu escolhi viver e que é bem diferente de Boston, e uma prática pro meu inglês com um sotaque bem diferente.

Tudo sempre é válido!

♥️

Na terra da música Country. Os 3 dias intensos em Nashville no Tennessee.

Road trip em 8 dias de viagem e 4 Estados/cidades 🇺🇸Chicago/Illinois – Indianápolis/Indiana – Nashville/Tennessee – Atlanta/Georgia.

🔅Leia aqui minha experiência de um único dia em Indianápolis em Indiana/EUA.

🔅 Leia aqui minha experiência de um único dia em Chicago.

Hello Nashville, cheguei!

Gente!!! Passei 3 dias em Nashville e foi maravilhoso. Eu fico muito feliz com pouca coisa, eu sou dessas, qualquer mínima coisa que eu consiga realizar na minha vida é tipo a melhor coisa da vida. Vocês não tem ideia de como eu tinha vontade de conhecer esse lugar, eu via muitos vídeos de brasileiros que davam esse rolê e sabia que logo mais planejaria uns dias lá.

Saímos de Indiana pela manhã e seguimos pra Nashville, foram mais umas 4 horas de viagem de uma linda paisagem, muitas fazendas, foi bem legal, até que chegamos no nosso hotel Resort incrível que nem podíamos imaginar o quanto. Minha chefe maravilhosamente nos presenteou com três diárias nesse resort como mais um momento especial da nossa viagem. Além de lindo, grande, tinha absolutamente tudo dentro dele, como lojas, restaurantes, bar, cafés, lanchonetes, ônibus que levava direto para o centro de Nashville, e ao lado do Resort com passagem através dele, um outlet super legal, com uma casa de show super famosa onde a música country ficou conhecida e famosa, Dave Buster e o Madame Tussauds de Nashville com mais alguns restaurantes e atrações dentro do outlet.

Tá curioso pra saber que Resort foi esse?! Acredite, daria pra ficar uma semana inteira lá, ou mais.

Gaylord Opyland Resort

Eu diria, se puderem, fiquem nesse Resort ao menos um dia! Tem piscina com bar, e estão construindo um parque aquático para futuras temporadas de verão. O Resort fica mais ou menos há uns 15 minutos de carro do centro de Nashville. Era difícil decidir entre curtir a cidade ou um dia inteiro de Resort. Mas vamos lá, fomos explorar né.

Eu achei a cidade de a Nashville linda, o centro não é grande, tudo é relativamente perto, da para fazer todas as ruas a pé, todos os pontos turísticos como museus da música, os estádios famosos de Nashville, você vai andando por cada um deles, até que chega nas 4 ruas principais e famosos pela quantidade de bares e coisas relacionadas à cultura country, acontecendo. A rua principal é a Broadway que corta todas essas 4 ruas transversais e todas elas vão de ponta a ponta. E elas têm os nomes como “1th Ave S” “2th Ave S”… bem fácil de se localizar.

Estávamos no auge de um dos principais feriados americanos, o 4th July, a cidade estava cheia, mas insuportável mesmo, só no dia real do feriado, eles fazem evento com fogos de artifício na principal, e todas as ruas de acesso ficam fechadas, então se for no feriado onde tenha evento acontecendo, esqueça ir de carro. Fica realmente lotado e tudo fechado.

Cheio, mas lindo! Tinha muita família e estava tudo bem organizado. Alguns lugares mais afastados de onde acontecia o show por conta do evento, ficavam mais tranquilos de caminhar e dava até pra sentar. Você podia acompanhar o show por um telão.

Voltando a programação normal fora do 4th July – As pessoas ficam andando nessas ruas e bares o dia todo, e eu vi muita família com crianças, mas após as 6pm os bares ficam com pessoas na porta pedindo ID, todos os bares ficam acontecendo música country ao vivo, entre os bares tem lojas de discos e souvenir, bem legais, tudo muito temático e diferente, da vontade de olhar tudo e comprar também 😅.

Nas ruas transversais a da Broadway você encontra alguns restaurantes melhores para comer e museus como do Johnny Cash.

Na falta de opção, tem o restaurante The old spaghetti factory que eu comentei no post de Indianápolis – tem uma pasta de cogumelos bem gostosa, e todo lugar sem tem uma batata frita ou um veggie burguer.

Eu fiquei encantada com o lugar, e tiramos um dia só pra fazer isso, passear e entrar em tudo, passamos por todas as lojas e cada bar a gente entrada, tomava uma cerveja e então andava mais e depois sentava em outro. E foi bem divertido!

Muitas pessoas comentam sobre o abuso dos caras ainda que você esteja acompanhada etc, que as pessoas dão em cima de você até mesmo na rua. Eu de verdade não senti esse clima, acredito que todo lugar que a bebida seja um pouco mais liberada, vão existir umas pessoas um pouco mais sem noção nesse sentido, mas foi tudo bem tranquilo, achei todo mundo no geral, bem friendly, todo mundo simpático e bem animado.

Eu tenho foto que não acaba mais desse lugar!

Um dia após o feriado a cidade estava muito tranquila e até vazia, aproveitamos para dar mais uma volta e conhecer algumas ruas ao redor e fora do tumulto dos bares.

Fora da cidade, vamos voltar ao outlet ao lado do Resort. Ainda que você não fique nesse Resort o outlet é uma atração, fica bastante cheio, e foi uma descoberta pra nós.

Abaixo, dentro do outlet você encontra essa casa de show, onde a música country ficou conhecida, é muito legal. Tivemos a oportunidade de assistir um dos shows e foi um máximo. Bem diferente do que estamos acostumados.

E ai pela primeira vez eu resolvi finalmente entrar em um Madame Tussauds. E eu realmente me diverti, comprei pela metade do preço no Groupon, na hora. Não é muito grande, o foco é mais nos músicos conhecidos em Nashville, porém tem alguns outros bem famosos e vale a pena conhecer.

Desculpa, eu não consegui escolher uma só foto pra representar esse lugar. O que seria da vida sem as nossas memórias arquivadas?! E algumas fotos falam mais do que mil palavras né.

Tennessee ganhou o meu coração! Nesse estado tem a cidade de Memphis com o museu do Rock com Elvis e dizem que é uma cidade linda pra conhecer, no entanto fica mais ou menos umas 2 horas de Nashville, queríamos muito ter ido lá, mas precisaríamos ter tirado uns 5 dias no Tennessee para fazer tudo com mais calma. Até porque, além disso, na cidade de Lynchburg Se encontra a fábrica do whiskey Jack Daniel’s que também deve ser muito legal de conhecer.

As lojas de souvenir e bares são muito representados pela marca do Jack Daniels e você encontra dos mais diversos produtos da marca, o que da mais vontade ainda de visitar essa cidade só pra conhecer.

Acredite que é muito difícil não se encantar e se divertir nesse lugar, ainda que a música country não seja a sua favorita. Foram os 3 dias mais divertidos da viagem, e com certeza eu pretendo voltar um dia para ir até os lugares citados acima que eu não tive a oportunidade de conhecer por conta do nosso tempo.

Minhas memórias ♥️

Até logo Tennessee!

Indianápolis em um único dia.

Road trip em 8 dias de viagem e 4 Estados/cidades 🇺🇸Chicago/Illinois – Indianápolis/Indiana – Nashville/Tennessee – Atlanta/Georgia.

🔅Leia aqui a minha experiência em um único dia em Chicago.

Hello Indiana.

Depois da experiência em Chicago, partimos para Indiana assim que acordamos, levamos 4 horas na estrada até chegar no nosso hotel. Ficamos no Extended Stay América hotel, e foi bom, fomos super bem recebidos, esse hotel tem cozinha pequena com geladeira, fogão, microondas e se você quiser pode alugar utensílios de cozinha no hotel. Se fôssemos ficar mais dias nele, até valeria a pena.

Nunca ouvi falar nada sobre Indiana, mas estava no caminho do nosso roteiro, e resolvemos conhecer a cidade. Pesquisando descobri que o Michael Jackson é de Indiana, e a casa da família dela, virou um ponto turístico, a rua hoje leva o seu nome em homenagem a ele e sua família. Pessoas visitam a casa do lado de fora para deixar presentes, memórias e tirar fotos! Eu queria muito ter ido, mas fica há 2 horas do centro de Indiana, e não ia ser possível. Mas fica a dica pra quem quiser muito conhecer.

Passamos o dia de rolê na cidade. Tudo é consideravelmente perto, você consegue andar por todo centro da cidade, a pé. Deixamos o carro no estacionamento do principal Mall (Circle Centre Mall) que fica bem no centro da cidade, com caminho direto para o Marriott, o hotel mais próximo. A cidade é linda, calma, histórica, limpa, as pessoas andam pela cidade inteira em um estilo de patinete com motor que você habilita através de um aplicativo e paga $1 – é mais usado do que as bikes. Tem vários restaurantes próximos uns aos outros. E para minha surpresa, no centro da cidade tem um restaurante brasileiro bem famoso nos Estados Unidos, “Fogo de chão steakhouse” – Se tem restaurante brasileiro, tem imigrantes brasileiros “haha” – Era domingo, a cidade estava bem vazia, mas nos deu tempo de passear pela cidade de uma forma mais tranquila.

Fomos comer em um restaurante diferente pra nós, e que parecia ser uma gracinha, e realmente era. E na dúvida de onde comer, qualquer lugar que venda macarrão, sempre vai ter alguma opção sem origem animal – que bom que tinha.

The old spaghetti factory ♥️

charmoso e com estilo de restaurante chique, tem um preço muito bom e spaghetti com mushrooms, cerveja gelada, e um ótimo e atencioso atendimento. Amei! Saímos felizes e contentes, bem alimentados para caminhar.

Andamos as ruas todas, entramos em umas lojinhas locais, todos os stadiums ficam no centro, bem perto para ir caminhando.

No meio da cidade tem um monumento enorme e bonito que fica em um círculo na cidade marcando a guerra civil e simbolizando a cidade de Indianápolis e o estado de Indiana.

(Monument Circle Indianápolis)

É possível entrar nele e subir um elevador bem pequeno e uma escada bem estreita para ver a vista lá de cima do monumento por $2 dólares. E logo na entrada antes de subir, tem uma loja de souvenir.

É bem bonito ver tudo lá de cima.

Olhem a vista desse lugar!

O que fazer em Indianápolis – Indiana.

  • Circle Centre Mall
  • Monument Circle
  • Indiana war memorial
  • Indianápolis City market
  • Lucas oil stadium
  • White river state park – Costumam acontecer eventos nessa região.
  • Indiana state museum
  • Upper canal – é um rio que fica submerso das vias, é preciso estacionar o carro e descer uma escada para chegar nesse lugar super agradável, com cafés, um lago para passear de gandola ou pedalinho, ou apenas relaxar.
  • Indianápolis motor speedway.

O único lugar que não fica no centro mas é mais ou menos uns 15 minutos de lá, é o lugar mais famoso pelo qual indiana é conhecido que é o motor speedway, onde tem uma das maiores e mais largas pistas de corrida, conhecida pelas suas 500 milhas. O museu fica bem no meio de onde as corridas aconteciam, tem tour pela pista inteira passando pela torre de controle das provas, posto médico etc, e no museu encontramos diversas fotos, carros de corrida de diversas épocas, e um hall da fama dos melhores corredores que passaram por lá, de diversos países, e os anos em que correram a corrida Indy e ganharam. Bem interessante.

A cidade é charmosa porém pacata, vale a pena para fazer um passeio bem turístico e histórico. Não há nada além disso. Vale conhecer uma única vez. Você faz tudo em um dia.

Eu particularmente gostei da experiência, energia local boa.

♥️

Diário de mudança #1

Finalmente nosso primeiro post de estréia do blog que já era pra ter saído a muito tempo e demorou por conta da correria, mas agora seremos fiéis aos passos. Primeiro de tudo, o nascimento do blog que já está no papel há alguns meses antes da viagem, tem como ideia registrar todos os acontecimentos, lugares, dificuldades, entre todas as outras coisas legais que podemos inspirar ou até mesmo ajudar quem está em uma transição de mudança radical na vida ou quer apenas viajar. Além disso a ideia é manter o olhar das nossas profissões dando o toque descontraído e técnico da coisa toda e unir a rotina ou a falta dela com nosso trabalho junto ao blog já que ambos trabalhamos com consultoria e conteúdo digital. Então vem com a gente!

Diário de mudança #1

Por fim, desde que nos conhecemos a gente conversava sobre possibilidades de morar fora, conhecer coisas novas, trabalhar, viajar, viver, estudar, aprender de uma vez por todas o inglês, quem sabe outras línguas já que os cursos no Brasil não deram em nada e só não digo que foi dinheiro tão jogado fora assim, porque ao menos temos uma base e conhecimento que poderia ser zero. Dois anos se passaram e a vontade só cresceu até que decidimos, “- chega de esperar”, afinal estamos esperando o que?! Uma decisão como essa basta apenas querer, se organizar, arrumar as malas e partir “rs”. Então começamos a estudar e ler muito, falar com pessoas que já tinham morado ou que ainda moram em algum lugar da América, vimos muitos vídeos, e optamos assim por começar em Massachusetts, custo de vida mais baixo relacionado a outros lugares, saúde de graça, apesar de ser um lugar muito muito e extremamente frio e que pode ser ainda mais frio do quanto frio imaginamos que seja “haha”, estamos em pleno verão americano, que bom! Diga-se por sinal que é a melhor época para mudar e se adaptar.

O engraçado é que por mais que você, pesquise muito, trilhe um caminho, e siga tudo perfeitamente, a vida vai te levar pra onde ela quer e acha que você deve estar, porque como dizem os sábios, “- você está exatamente onde deveria estar”, acho que a frase é essa e apesar de eu ler muito sobre esse tipo de coisa eu não me lembro quem disse isso e se alguém souber me diga por favor, só sei que ela é muito real e vai fazendo cada vez mais sentindo no decorrer da vida. Então hoje quase 3 meses de América, não fomos morar em nenhum dos lugares que pesquisamos de Massachusetts, e fomos parar em uma cidade chamada Lowell já quase divisa de New Hampshire que é o estado vizinho. Quando você muda sua vida completamente e principalmente se joga em uma vida/aventura fora da caixa, temos que esperar de tudo e estar preparado pra tudo, na verdade pra tudo nós nunca estamos mas é bom que saiba aproveitar da melhor forma, pois mudar de país é viver em uma estrada escura apenas com os 200m a frente iluminados, e você vai descobrindo os caminhos conforme continua seguindo em frente, o que para muitos pode ser assustador, eu acho fantástico, tudo o que precisamos é de alguns metros iluminados pra poder continuar e nos surpreender.  A gente pesquisava muito sobre ficar mais próximo ao centro de Boston, onde tem muitos brasileiros e temos conhecidos, além de ter fácil acesso ao metro, trem, ônibus, enfim…facilidades. Mas, a vida estava pensando em algo diferente. Lowell é uma cidade bem afastada, e no geral o estado de Massachusetts em si e os estados vizinhos, você só vive se tiver carro, ônibus só funciona nos centros de cada cidade e não te leva para todos os lugares e muito menos funciona até tarde, no início foi um choque, “como assim não posso ir no mercado a pé?!” Aqui essa possibilidade é quase impossível, mas a gente se adapta e com um carro já acostumamos com esse estilo de vida.

IMG_1074

IMG_1040

Lowell foi nosso start, alugamos um quarto de um apartamento onde morava um casal também recém chegado do Brasil, tínhamos um mês ali até poder encontrar um lugar pra nós, não encontramos e quase surtamos. Visitamos muitos apartamentos na cidade que estávamos, já que fomos parar lá, mas ou era muito caro, ou estava muito trash, ou se a gente demorasse um dia para dar a resposta já era tarde demais. Aqui as coisas são muito rápidas, tudo acontece no ontem, e tudo muda o tempo todo, faz jus a frase da música que diz: “- Não temos tempo a perder.” Então acabamos encontrando um casal no estado vizinho (New Hampshire) com a disposição de nos alugar um quarto em um condomínio delícia, no meio da floresta e ainda tinha uma piscina. Mesmo que eu só tenha ido a piscina uma única vez é sempre bom saber que você pode ir se quiser “rsrs”. Tudo ótimo porém nada como ter o seu próprio espaço, no entanto decidimos focar em outras coisas e deixar essa história de apartamento pra depois, enquanto isso ficaríamos na casa do casal de um americano com uma brasileira, ambos na faixa dos 50, e nessa história de deixar o apartamento para depois é que ele apareceu. Quando digo que aqui as coisas mudam o tempo todo eu não estou brincando. Cogitamos a possibilidade de ir pra um quarto no centro de Boston, voltando a pensar da forma como imaginávamos ainda quando estávamos no Brasil, e quem sabe com calma pesquisar apartamento depois por la. Novamente a vida disse “NÃO!” Aqui você acaba conhecendo gente nova o tempo todo, faz contatos, acaba descobrindo e conhecendo coisas novas mesmo que naquele dia você não esteja disposta (o) a isso, em uma dessas é que conseguimos o apartamento na mesma cidade do casal onde fomos morar, Nashua-New Hampshire. Que por sinal a gente adora aqui, descobrimos a quantidade de coisas legais que tem pra conhecer, lugares lindos, muita natureza, muitos parques, muitos lagos, praia, então por enquanto resolvemos ficar e apreciar, e claro, agradecer esse cantinho todo nosso que surgiu. O prédio é de uma brasileira que mora aqui já uns 30 anos e adora alugar para brasileiros, acredito que seja por sermos mais organizados e limpos. Melhor assim, porque acaba sendo bem mais fácil.

IMG_1284

Somos do Rio de Janeiro, antes de nos mudarmos eu trabalhava no escritório de uma marca carioca e o Thiago dava aula em diversas matérias de turismo na Universidade Estácio de Sá, tiramos nosso tempo antes da viagem para aproveitar, o sol, praia, viajamos para Recife, Ilha grande, amamos o contato com a natureza e hoje estar em Nashua aquece o coração por a gente se manter com essa energia tão boa que a natureza trás, o centro de Boston parece uma mega São Paulo e há quem preferia.

Eu acho aqui mais simples de alugar apartamento do que no Brasil por exemplo, não existe muita burocracia, alguns pedem uma ficha de aplicação, outros apenas o dinheiro com depósito que pode ser entre 2 ou 3 aluguéis, então no geral basta você ter o dinheiro e não perder muito tempo pensando se vai ficar ou não com o apartamento, que você consegue, o difícil é achar porque tudo se aluga muito rápido. Além das plaquinhas de “RENT” você pode pesquisar em 3 aplicativos que vou indicar e que nos ajudaram muito.

Aplicativos para aluguel nos Estados Unidos:

Craigslist

O Craiglist é um site pra tudo, aluguel, trabalho, carro, e tudo que você possa imaginar. O aplicativo dele é muito bom e bem prático pra achar tudo, o bom dos apartamentos que ele divulga é que no geral o contato é direto com o proprietário e acaba sendo bem melhor.

Zillow Rentals

O Zillow é bem parecido com a proposta do Rent.com, mas existe muitas possibilidades de apartamentos direto com o proprietário então acaba facilitando pois basta você ter o que eles precisam e se gostar, se mudar.

Rent.com

O Rent.com é bem famoso, conheci muitas pessoas que indicaram ele, mostra diversos apartamentos conectados pelo gps, mostra a região que você desejar, mas todos são por imobiliária. Então imobiliária acaba sendo um processo um pouco mais demorado pois todas pedem uma ficha de aplicação pra ver se você é aprovado pra alugar tal imóvel, mas algumas pessoas tiveram sucesso com ele.

Então quem ainda não nos segue corre pra fanpage, o instagram está cheio de fotos legais, e o snapchat mostra um pouco do dia a dia, já mostrei o novo apartamento por la. Na semana que vem terá post “Diário de mudança #2” falando sobre móveis, como as coisas funcionam aqui nos Estados Unidos, centro de doação, a quantidade de móveis que vão pro “lixo”, e quem adora pegar coisas usadas e repaginar ou até mesmo só pegar aquilo que alguém não quis mais e mesclar com a decoração da casa, vai adorar esse post, talvez saia até um vídeo.