Na dor e no amor ♥️

2019 Ufa! Que ano!!

Eu sei, o ano ainda não acabou, mas em algumas horas eu fecho um ciclo, encerro o meu ano pessoal de vida, mais um ano, para iniciar uma nova fase. Meu ano não começa dia 1 de janeiro, com certeza nesse dia eu vou olhar pra trás e falar “eita porra” consegui sobreviver a esse ano e atravessar um calendário. Mas o mais importante é que estou fechando um ciclo e começando um totalmente novo, AGORA. 03 de outubro de 2019 – 32 anos – quanta gratidão tem no meu coração. Eu amo a data do meu aniversário. E eu amo a minha fase adulta. Eu amo e honro todos os meus aprendizados, amo quem eu tenho me tornado, eu amo cuidar de mim, eu amo todas as minhas mudanças, eu amo o aqui e agora e esse caminho, eu amo onde estou.

E amar tanto, não significa que foi ou esteja sendo fácil. Mas esta cada vez mais e não porque as circunstâncias mudaram, mas porque eu estou mudando, meu mindset tem mudado. E com muita consciência eu me olho todos os dias e converso comigo.

– e então, o que precisamos fazer? Como mudar? Por onde começar?

Eu acolho os meus erros e os transformo. Lido com a minha dor e as minhas próprias cobranças. Eu sou humana. E me sinto cada vez mais humana, em uma experiência literalmente de evolução. A forma que lidamos com a nossa evolução é que pode definir o quanto vai doer. Isso, tenho aprendido nessa jornada fora do meu país de origem.

Eu vivi coisas muito difíceis, que com palavras não definiram o tamanho da dificuldade e da dor. Porque foi a minha experiência, na minha pele. Mas, eu esperava por muita dessas coisas, e com um tempo eu entendi que o tamanho da dor, era proporcional ao quanto eu relutava para não fazer, simplesmente aquilo que a vida estava me pedindo para fazer. Eu estava tentando ser acordada para poder viver justamente o que tenho vivido hoje, e o caminho lindo que sei que ainda tem pela frente. Mas, eu preferia sentir a dor, do que ter que enfrentar todos os medos, as duvidas, e a falta da zona de conforto, do que já era conhecido. Quantos de nós não fazemos isso?!

Mas, a bastante tempo venho me conhecendo. E fui ouvindo o chamado, cada vez mais, e fazendo o melhor que eu podia. E me sinto grata por ter ouvido, ainda que não esteja tudo perfeito, tudo está perfeito como é.

Eu tenho enxergado todas as sincronicidade que já estavam acontecendo desde lá de trás, e eu só entendo o porque, hoje! O universo é mesmo perfeito. Ele sabe de tudo, e todas as nossas batalhas vem acompanhadas por anjos, que precisamos apenas saber enxergar.

Quanto mais a gente se conhece, mais o nosso mindset muda. Mais criamos consciência, e cada vez mais aprendemos a lidar com todas as adversidades e todas aquelas coisas que a nossa criança interior chora e diz que apenas não quer fazer e pronto e acabou.

Quando eu saí de casa pra morar sozinha a primeira vez, eu estava segura, feliz, porque tinha um trabalho bem sucedido que eu amava, mas em um relacionamento totalmente instável. Mas fui, porque essa é a minha personalidade, eu apenas vou! E exatamente um mês depois de ter me mudado com absolutamente tudo que eu tinha, eu levei um pé na bunda, e a empresa dos sonhos fechou. Pensei que estava vivendo a minha pior fase. “Logo agora” – pensei.

Foram meses difíceis, e transitei entre chamados que eu ainda não conseguia ouvir. Então, fui seguindo a minha intuição. Nessa época comecei a meditar, e então passei a ir a um centro budista incrível que tem quase no mundo todo. A yoga começou a me ensinar muita coisa, e eu já nunca havia começado a yoga pensando em exercício, mas em vida!

Hoje eu entendi que se conhecer de verdade, demora. A gente precisa se experienciar muito pra dizer “eu sei”. E ainda sim, muitas vezes vamos viver coisas que nós mesmo iremos nos questionar. Mas acredite, tem sempre um porque, confie e lute pra chegar lá.

Por isso, se entregue hoje para o seu processo!

Eu mudei! E comecei esse ano com a certeza de que tudo seria diferente e está sendo, desde o dia 2 de janeiro, que eu finalmente consegui sair da minha zona de conforto de dor. E doeu mais ainda por 1 mês. Mas cada mês seguinte, doeu um pouco menos. Algo que carreguei por alguns anos. Enfrentei outros problemas e dificuldades, e graças a Deus eu tive a consciência de entender a minha auto-responsabilidade nesse processo. Arquei com ela, fiz meu melhor, doeu, sofri, chorei, mas superei. O que eu atraio, EU atraio. E somente eu mesmo (a) posso mudar. E tenho mudado, e vou mudar.

Agradeço muito aos anjos que estão na terra vivendo também os seus processos de evolução e ainda sim são capazes de alguma forma ajudar o outro a evoluir também. Mesmo quando não saibam disso.

Como humana eu digo, apenas confiem no processo de vocês. Apenas lutem para desapegar, enfrentem a dor, e saiam da zona de conforto. Olhem os sinais, e sejam gratos. Todos nós estamos aqui conectamos por um motivo. E tem a ver com a nossa própria evolução, individualmente de cada um, em uma incrível sintonia perfeita que nada explica!

E nem precisa.

Com amor ♥️

Namastê🦋